sexta-feira, 1 de julho de 2011

Tecendo


Tecendo
Seria muito ridículo me sentir assim agora

Não há como negar,
A razão da minha dor é inexplicável.

Dores fortes e sabias palavras saem da minha boca,
Reflexo daquilo que sinto.
Ser um poeta é viver da dor
Viver da desgraça inútil alheia.
Se queimando por dentro, por fora vazio.
Sem reação para nada

 Será comum para mim?

Vivi tudo aquilo que nunca pensei em viver
Estou vivendo algo que nunca queria que me acontecesse
Minha obra guardada é raridade para se compartilhar
E tudo que sinto é uma dor inexplicável
De um corte sem ferida e sem nexo pra ser contado.

Agora eu lhes pergunto:
É comum saber viver com uma ferida que nunca irá se curar no meu imprevisto futuro?


Encerramento

   Perdido talvez, encontrando nunca. Criando recriando e inventando. Como sempre, um final se torna mais um desejo a ser espalhado e proclamado. Quero que mais uma vez seus olhos passem por aqui - apenas me aproveito a oportunidade dada. Sendo que hoje, sexta, me sinto na mais perfeita calma. mesmo depois de tudo que se passa na semana, você pensa que sexta é apenas um inicio de mais um fim, que para outros simplesmente é apenas um recomeço para reorganizar tudo, assim como sempre foi pra mim. Espero ver todos na próxima semana.  Good Night
Reações:

1 comentários:

Anônimo disse...

UAU...Divina as suas palavras de uma alma trancada a sete chaves.

Postar um comentário

Quem você é debaixo dessas cicatrizes?

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management